O Deus Que Não Temos

 

Autor: J. Oliveira Branco e Sebastião Formosinho

Páginas: 640

Coleção: Máquina do Mundo

ISBN: 978-972-53-402-0

PVP: 22,21 | Preço site: 19,99

Encadernação: Capa mole com badanas

Formato: 15,5cmX23,5cm

Data de edição: 10-2008

LER

COMPRAR

 

 

Um livro sobre Deus?

Qualquer discurso sobre Deus, prático ou teórico, é antes de mais um discurso sobre o homem.

Quem é crente afirma a convicção que tem e quem não é recusa a ideia que faz ou vê outros fazerem, talvez em razão de outra ideia que tem por mais pura sobre «Deus». Sendo que uns e outros usam um nome, humano, importa saber o que valem essas ideias.

Mas será que se pode pensar Deus?

É pertinente a pergunta de Nietzsche. Seja o que for que se pense ou diga o nome de Deus vai ser sempre marcado por pré-conceitos e equívocos e por intuições notáveis acumulados na tradição dos crentes e na dos ateístas. Ambos precisam de ouvir-se mutuamente se querem progredir em ordem a um discernimento amadurecido.

Este livro «sonha» com esta maturidade cultural, visa contribuir para ela. Todavia não é um livro técnico de Filosofia da linguagem. Dirige-se a um público mais vasto, culto, e disposto a indagar sem temor as questões do humano. Depois de O Brotar da Criação e de A Pergunta do Job (O Mistério do Mal), os autores completam agora a trilogia com este O Deus Que Não Temos. Se é Deus, ninguém o pode ter e nem o pensar finito O pode dizer. Mas a insatisfação e os dinamismos da existência e da História interrogam a todos. Haja coragem de discernir para além do saber vulgar e científico e dos rumos da cultura e das crenças religiosas.

Agitar a rotina da linguagem proporciona surpresas estimulantes. Convidamos o leitor a descobri-las. Vale a pena sondar a esperança que anima os anseios do humano.

 

 

Post Your Comment Here

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *